Noticias

Depressão e ansiedade: a alimentação pode influenciar?

JÉSSIKA CARVALHO | CRN 3-28292 | Nutricionista | Mestra em Ciência dos Alimentos | Pós graduada em Nutrição Clínica e Hospitalar

Atualmente a busca por uma vida saudável têm se tornado cada vez mais recorrente, principalmente pelo fato de que hoje em dia sabemos mais sobre os principais problemas de saúde que surgem com o envelhecimento, como a depressão e a ansiedade.

A depressão é uma síndrome que inclui, principalmente, alterações de humor como tristeza, irritabilidade e falta da capacidade de sentir prazer.  A ansiedade é um sentimento de inquietação e preocupação, geralmente generalizado e sem foco, como uma reação exagerada a uma situação que é apenas subjetivamente vista como ameaçadora. Ambos são desequilíbrios recorrentes e presentes em parte da população mundial e que podem ser evitados dependendo do tipo de alimentação e estilo de vida.
O estresse também é um dos grandes causadores de distúrbio de humor e um grande depletor de nutrientes. A falta de tempo e de preocupação com a saúde, levam a um cardápio pobre (sanduíche, frituras, salgados, refrigerante…), desnutrido, que só traz prazer imediato na língua, enfraquecendo cada vez mais a bioquímica cerebral.
A inclusão de alguns alimentos ricos em compostos ativos como os flavonóides podem aliviar alguns sintomas da depressão e ansiedade. Os flavonóides contribuem para a diminuição da morte dos neurônios e ajudam nos mecanismos de comunicação e coordenação das funções das células, as quais, na depressão, podem estar comprometidas. Auxiliam na melhora do fluxo de sangue no cérebro, contribuindo para a saúde das veias e artérias, melhorando a distribuição de nutrientes para as células cerebrais e mantendo suas funções de maneira saudável.
Alimentos ricos em flavonóides
– Maçã vermelha, cereja, chá verde, morango, amora, mirtilo, uva roxa, chá preto, cacau.
– Cúrcuma, fonte de um polifenol chamado curcumina e que melhora a depressão, por exercer ações antioxidante, anti-inflamatória e neuroprotetora.
– As oleaginosas (castanhas, nozes e amêndoas), abacate, ovos, aveia, folhas verdes, fornecem nutrientes e compostos ativos importantes para a integridade e funcionamento do sistema nervoso central (SNC).
– Prebióticos e Probióticos contribuem para a manutenção da microbiota intestinal que exerce um papel importante no funcionamento normal do cérebro e, assim, pode influenciar no risco de doenças como ansiedade e desordens de humor.
Dessa forma, ressalta-se a importância de hábitos de vida saudáveis em todas as fases da vida, associados a uma alimentação variada, rica em alimentos in natura e minimamente processados, sempre respeitando a individualidade bioquímica para que dessa forma possamos envelhecer de forma saudável.



Fonte: http://avpgraficaejornal.com.br/layout/index.php/2018/11/30/depressao-e-ansiedade-a-alimentacao-pode-influenciar/